Candidatos a vereador abandonam Neto Evangelista alegando arrogância do candidato democrata


A campanha do deputado estadual Neto Evangelista (DEM), vem sofrendo uma espécie de 'lipoaspiração', com  a debandada de vários candidatos a vereador, que estão saindo e afirmando que não podem caminhar junto a um político que já mostra sua arrogância e prepotência num momento em que precisa de apoio: na campanha. 


Um dos primeiros a abandonar a barca do 'jabuti' do senador Weverton Rocha foi o líder comunitário Cueca Martins (PSL), que se disse decepcionado ao extremo com o parlamentar que quer ser prefeito.

Tudo aconteceu na noite do último dia 10, por ocasião do lançamento de sua candidatura à Câmara Municipal, evento realizado na rotatória do Piancó. Neto Evangelista que havia, inclusive, anunciado que marcaria presença em vídeo publicado nas redes sociais, deu o 'cano' no candidato, não compareceu e sequer mandou um representante. Alegou que não se fez presente, pois o ato político não contava com uma multidão, apenas com 'gatos pingados', gerando uma revolta ainda maior.

Após o desrespeito de Neto, Cueca Martins então tomou uma drástica decisão: arrancou material de campanha com nome e imagem do prefeiturável, denunciou a falta de compromisso do candidato e assegurou que jamais votará com ele. O vídeo repercutiu e causou revolta nas redes socias com manifestações de apoio a Cueca.


“Se ele já não cumpre o que fala enquanto está precisando de apoio popular e de votos, imagine que conseguisse ganhar a eleição”, questionou o candidato a vereador.

MAIS UM EPISÓDIO 

Outro que também deixou o grupo de Neto Evangelista foi Eduardo Andrade, também candidato a vereador pelo PSL. Ele estava programado para fazer uma gravação de sua campanha, na Imagine, empresa de propaganda de propriedade do conhecido Evilson Almeida, no Monte Castelo e quando chegou lá disseram que a maior parte de sua gravação seroa para declarar apoio a Neto Evangelista.

Indignado, Eduardo gravou um vídeo contando a situação e destacando que jamais votará em Neto Evangelista.  


“Isso aqui é opressão. Pensei que o meu partido, o PSL estivesse bancando a gravação dos candidatos, mas cheguei aqui e vi que querem fazer com a gente faça é campanha para o Neto Evangelista. Não lhe dou apoio e nem aceito opressão, destacou.

Antes mesmo de iniciada a campanha, Neto Evangelista já enfrentava rejeição por parte de muitos dos filiados ao PSL, cuja aliança foi forjada em Brasília, pelo senador Weverton Rocha e o presidente da sigla, o deputado federal Luciano Bivar.

O delegado de polícia aposentado, Sebastião Uchoa, por exemplo, estava na relação dos pré-candidatos a vereador, mas quando o PSL anunciou aliança com o partido de Neto Evangelista, ele se desfiliou e abandonou o projeto de candidatura, exatamente por não concordar em caminhar junto a Neto Evangelista na campanha.

NÃO ACEITOU IR PELO 'BEIÇO'

Outro caso que gerou repercussão e também envolveu o PSL, ocorreu no dia 11 de setembro, quando a presidente do Diretório Municipal de São Luís, Lorena Macedo, declarou que iria apoiar e votar em Duarte Júnior.

Mesmo com a articulação em favor do candidato democrata, a dirigente partidária não aceitou ir “pelo beiço” para o grupo de Neto Evangelista, aumentando ainda mais a lista dos peselistas que rejeitam o prefeiturável do DEM com perfil arrogante e prepotente.

FALTA ESTRUTURA PARA CANDIDATOS

Além do PSL, candidatos de outros partidos, inclusive, do DEM reclamam da falta de estrutura na campanha. Alguns dos postulantes ao Legislativo já ameaçam declarar apoio aoa concorrentes de Neto. A insatisfação é grande principalmente no MDB.