Duarte Júnior frauda informação sobre Harvard


Uma autêntica fraude!  Isso é o que pode se dizer das informações disseminadas pelo deputado Duarte Júnior, candidato do Republicanos a prefeito de São Luís, no seu vídeo de campanha eleitoral inspirado no filme “O curioso caso de Benjamin Button”, estrelado por Brad Pitt em 2008.  Dentre diversos pontos hilários e demagogos do vídeo, o parlamentar inicia a venda de seu nome como melhor opção para governar São Luís citando ter sido “treinado em Harvard”. 

Ao que se apurou, o mais próximo que Duarte Jr chegou disso foi ter participado do Brazil Conference at Harvard & MIT entre os dias 5 a 7 de abril de 2019. O Brazil Conference é um evento anual que ocorre tradicionalmente no mês de abril, organizado pela comunidade brasileira de estudantes na região de Boston, desde 2015, e usa como cenário a respeitada  Harvard University e o Massachusetts Institute of Technology, em Boston, nos Estados Unidos, que são citadas como apoiadores da realização. 

Ainda que abra espaço para a participação de personalidades de diferentes posições e ideologias políticas, o referido evento é realizado e patrocinado por jovens simpatizantes da extrema direita e do governo Bolsonaro que residem nos Estados Unidos em direta articulação com empresas representantes do grande capital privado como a BTG Pactual e Fundação Lemman. 

Durante o citado evento, ao qual levou a companheira, Karen Barros, dirigente do Procon, sem autorização do governo conforme alardeado à época, Duarte Jr passou a divulgar que estava ali como representante do governo do Maranhão. 

Comentário falacioso vide que o deputado participou apenas na condição de “ouvinte” em um seminário aberto para estudantes de graduação e pós-graduação de todo o país, cujo alcance tem aumentado desde a entusiasmada divulgação do MEC junto a instituições de ensino superior brasileiras. Não à toa, a referida edição de 2019 foi acompanhada por 900 participantes presenciais, além de mais de 10 mil inscritos online segundo informações do site oficial da Brazil Conference.

A reunião contou com dezenas de nomes de peso da política e economia nacional e mundial,  dentre os quais Flávio Dino fulgurou na condição de conferencista ao lado de figurões como Ciro Gomes, Zema Ribeiro, Wilson Witzel e Camilo Santana. 

Ora, ora... o próprio governador não fez grandes alardes ou uso político da honrosa condição de palestrante e legítimo representante do Maranhão. Já o aspirante a prefeito, em suas contas nas redes sociais, utiliza essa “experiência de 3 dias” como se tivesse participado de um treinamento profundo do porte de um curso de pós-graduação em movimento similar ao que Carlos Decotelli e Kassio Nunes fizeram na tentativa de supervalorizar suas qualidades técnicas e acadêmicas. Sem o devido lastro, ambos foram execrados porque mentira tem pernas curtas.

Na tentativa de trazer o brilho que precisa para ter dignidade, Duarte também divulga que estudou Gestão na instituição de ensino de Jorge Paulo Lemman, proprietário também da Ambev e da gigantesca rede de fast-food norte-americana Burger King no Brasil (só para citar alguns de seus investimentos). 

Ousado, o deputado estadual que se apresentou como federal na Brazil Conference de 2019 parece querer chamar a atenção de JP Lemman - dono da segunda maior fortuna de nosso país e décima nona do ranking mundial que vem investindo  fortemente na formação de jovens talentos e os catapultado para altos cargos dos poderes executivo e legislativo a exemplo da estranha deputada federal Tábata Amaral (PDT). 

Todo mundo sabe que a Fundação Lemman tem direcionado seu poder de fogo sobre a “reforma” do ensino fundamental e médio, sobretudo após a tutela do MEC vir para as mãos de jovens empreendedores e ex-Lemann fellows (o apelido dado aqueles que receberam bolsa da Fundação Lemann). Também se sabe que JP Lemman financiou o movimento Vem pra Rua contra a presidente Dilma Roussef, além de estar por trás de diversas ações orquestradas para a privatização de empresas públicas como a Eletrobrás e Correios. 

Pergunta que não quer calar: considerando que Jorge Paulo Lemman simboliza bem a elite econômica do Brasil - que usa o país para espoliação, acirra diferenças sociais e mora no exterior bem longe de toda a bagunça que ajuda a instituir por aqui -, cadê a consciência social e política do parlamentar que se diz “filho do povo, igual a você” ?

Ao enaltecer cursos curtos da Fundação Lemman e 3 dias de aula em evento brasileiro sediado em Harvard como pontos de preponderância em seu currículo, resta a sensação de que Duarte Júnior menoriza as intitituições locais onde investiu anos de sua trajetória ao ponto de nem citá-las na dita propaganda. A graduação em Direito no Ceuma, o mestrado em Políticas Públicas na UFMA e a especialização na UEMA lhe são muito pequenos para o que ele quer parecer ser mas não é?

Com tal escolha, parece que o candidato se coloca como mais um entusiasta do neoliberalismo e faz questão de negar o seu pitiú popular de nascença acumulando com louvores mais uma propaganda enganosa e deslealdade ao seu currículo.

DESLEALDADE TAMBÉM COM OS COLEGAS

Entre os pares não há nada de surpresa nisso. Duarte Júnior se notabilizou na Assembleia Legislativa como plagiador de projetos dos colegas e pela sua ânsia de poder. Uma das mais notórias provas da deslealdade de Duarte Júnior  para com os colegas na Assembleia Legislativa teve como vítima o já saudoso deputado José Gentil.

Em 2019, Gentil apresentou o projeto  RG +. Pelo projeto, caso a pessoa queira, poderia colocar o número e a data de validade da carteira de motorista, título de eleitor, registro profissional e carteira de trabalho no documento de identidade. Além disso, poderia constar no RG+ a identidade profissional (por exemplo: OAB e CRM), identidade de contribuinte do imposto de renda, certificado militar, PIS/PASEP e a certidão de nascimento, com comarca, cartório, livro, folha e o número do registro, de forma resumida.


No RG+ também podem constar tipo sanguíneo e informações sobre condições especiais de saúde do titular do documento ou a declaração da vontade da pessoa ser doadora de órgãos. O RG+ já está sendo expedido em qualquer unidade do VIVA Cidadão ou no Instituto de Identificação (IDENT).

Ocorre que Duarte Júnior solicitou a Gentil que subscrevesse o projeto, o que foi prontamente aceito pelo falecido colega. A matéria foi aprovada e sancionada. Dias depois, a cidade foi tomada por uma gigantesca campanha publicitária, com fotos gigantescas de Duarte Júnior em outdoors e busdoor sendo que a citação do nome do verdadeiro autor da matéria aparecia de forma minúscula, quase imperceptível.

O próprio Zé Gentil fez a denúncia da usurpação na tribuna da Assembleia e desmascarou Duarte Júnior, que também copiou projeto de vereadores de São Luís com relação à Feirinha do Vinhais. 

O texto chama a atenção para a verdeira face desse jovem vaidoso que parece estar disposto a qualquer coisa pra vencer as eleições. Ele seria a melhor opção para defender os direitos populares, eleitor(a)? Fiquemos de olho nele, pois do mesmo modo que ludibria em suas propostas também mente em seu currículo. Uma vergonha!