Flávio nega irregularidades em compra de mansão por R$ 6 milhões


O senador e filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), negou nesta 3ª feira (2.mar.2021) qualquer irregularidade na compra de uma mansão em Brasília pelo valor de R$ 5,97 milhões. Segundo ele, a imprensa “tenta construir uma narrativa criminosa”.

O Poder360 teve acesso à escritura pública da compra do imóvel. O documento registra a aquisição da casa por Flávio e sua mulher, Fernanda Antunes Bolsonaro. Foram pagos à vista R$ 2,87 milhões. Os R$ 3,1 milhões restantes foram financiados em 360 meses pelo BRB (Banco de Brasília), com taxa de juros nominal de 3,65% ao ano. O valor é abaixo da inflação, que ficou em 4,52% em 2020. Em vídeo, o senador disse que não há nada de errado com o valor pago como entrada, que ele diz ter conseguido depois de vender uma casa e uma franquia que tinha no Rio de Janeiro. Já sobre a taxa de financiamento, declarou que foi dada baseada na renda da família “como qualquer outra pessoa”

A casa adquirida pelo senador fica no Lago Sul, área nobre de Brasília. Tem 936 m² de área construída e 2.400 m² no total. De acordo com a escritura, o valor a ser pago mensalmente é de R$ 18.040,27. 

De acordo com o documento, o senador tem R$ 28.307,68 de renda e sua mulher, R$ 8.650. A prestação consumiria 49% dos ganhos do casal.

“Eu vendi um imóvel que eu tinha no Rio de Janeiro, vendi uma franquia que possuía, também no Rio de Janeiro, e dei entrada numa casa aqui em Brasília. E a maior parte do valor dessa casa está sendo financiada com o banco com uma taxa que foi aprovada conforme o rendimento familiar, como qualquer pessoa no bBrasil pode fazer”, declarou o senador.

Depois de o caso ser divulgado, Flávio disse que teve seus dados pessoais como o endereço divulgados e que, por isso, pediu ao GSI (Gabinete de Segurança Institucional), órgão que cuida da segurança da Presidência da República, que reforce a proteção próxima à sua casa.

CASO DAS RACHADINHAS

Flávio é suspeito de ser 1 dos beneficiários de recursos de esquema de “rachadinha” em seu antigo gabinete na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). Sua mulher, Fernanda Antunes, teria recebido em 2011, em espécie, R$ 25.000 de Fabrício Queiroz.

Queiroz foi assessor no gabinete de Flávio de 2007 a 2018. É policial militar aposentado e tem ligações com a família Bolsonaro há mais de 30 anos. Foi preso em 18 de junho de 2020 e atualmente cumpre prisão domiciliar.