MOURÃO DEVE TROCAR DE PARTIDO E DISPUTAR VAGA PARA O SENADO


O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) pegou gosto pela vida pública. Mais que isso, consegue levar uma vida normal mesmo estando à frente de uma das cadeiras mais importantes do país, a de primeiro substituto do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido). Em entrevista à revista Veja, contou conseguir cavalgar, frequentar bares com a mulher em Brasília e jogar vôlei aos sábados.

A liberdade de ir e vir, mesmo com todo o assédio de apoiadores que querem tirar fotos, o leva a um plano B, caso Jair Bolsonaro o extirpe de uma eventual chapa para a reeleição presidencial em 2022. O “Pelé do PRTB”, como define carinhosamente o presidente nacional da legenda, Levy Fidelix, jamais seria escanteado do próximo pleito numa disputa ao Congresso.

Mourão mira o Senado. À Veja, descartou qualquer possibilidade de tentar uma cadeira de governador. 

“Complicado, já vou estar com quase 70 anos. Acho que para governar determinados estados aqui no Brasil o cara tem de ter uns quinze anos a menos. Também não me vejo deputado. Senado talvez, aí sim. O Senado tem um outro diapasão, uma outra forma de agir, de atuar”.

veja mais em https://oglobo.globo.com/analitico/o-que-move-mourao-contrariar-bolsonaro-24721657O vice de Bolsonaro general Mourão, não se cala mesmo quando tem opinião diferente do presidente e suas declarações há muito tempo irritam Bolsonaro e seus filhos, o que provocou um grande distanciamento entre os dois que não é de hoje.O fato é que Mourão nunca aceitou ser cúmplice nas "cagadas presidenciais" e sempre se manifestou com suas opiniões mesmo que distintas de Bolsonaro. Hoje abertamente Mourão assume que não será vice de Bolsonaro em 2022 e com a morte de Fidelis deve acertar convite de um partido de centro ou centro-direita, o favorito seria o PL, pelo qual disputaria uma vaga para o senado pelo Rio Grande do Sul